As festas de Lisboa

Read in European Portuguese

Practice your reading in European Portuguese with articles about Portuguese festivities. Consolidate the new vocabulary by reading more about it in the glossary and listening to the audio of the text in Portuguese. 

 
 
 Manjericos com flores de papel coloridas e quadras populares.

Manjericos com flores de papel coloridas e quadras populares.

 

Portugal é palco de festas ao longo do mês junho, altura em que se celebram vários santos populares: Santo António, São João e São Pedro. Em Lisboa, é na noite de 12 para 13 de junho que a cidade tem o seu pico de celebrações ao festejar Santo António, que nasceu em Lisboa e morreu a 13 de junho de 1231 em Pádua.

Alguns defendem que a origem destas festas poderá ser anterior ao cristianismo, originando nas celebrações pagãs da fertilidade e do solstício de verão. Não serão então coincidência as várias alusões ao amor e à abundância nesta altura:

  • os casamentos de Santo António, um santo casamenteiro, em que vários casais se casam simultaneamente no dia 12 de junho, abençoados pelo santo;
  • os saltos por cima de fogueiras numa alusão ao sol e ao seu poder de purificação e regeneração;
  • a menos comum queima da alcachofra, em que um apaixonado guarda e rega uma alcachofra queimada na esperança que renasça no dia seguinte, prova de que o seu amor é correspondido e eterno;
  • o manjerico colorido e perfumado que ostenta quadras populares de amor e que o homem oferece à sua amada.

Na noite de dia 12, as ruas da baixa lisboeta enchem-se de decorações coloridas e de pessoas, e os arraiais multiplicam-se pelos diferentes bairros com música, dança e muita sardinha assada no pão (proibido usar faca e garfo!). O fim da festa é só no dia seguinte, quando o sol já vai bem alto.

Quem já estiver acordado no dia 13 pode ainda ir à procissão de Santo António que sai da Igreja de Santo António (claro!) em Alfama e percorre várias ruas de Lisboa com o andor da figura do santo e milhares de pessoas, regressando ao seu ponto de origem após algumas horas.

 

Áudio

 

Vocabulário

palco (m, -s): estrado elevado, geralmente de madeira, onde representam os atores ou tocam os músicos num espetáculo. Exemplo: O cantor estava a dançar e caiu do palco.

santo (m, -s): homem que foi canonizado e santificado por uma igreja. Exemplo: Ele foi tornado santo só depois de morrer.

pagã/-ão: que se refere a uma religião com vários deuses. Exemplo: Aqui está um templo pagão romano.

fertilidade (f, -s): que se refere a algo que é fértil,que permite a fecundação. Exemplo: A primavera é uma altura de grande fertilidade.

solstício de verão (m, -s, -): o dia mais longo do ano, que marca o início do verão no hemisfério norte a 21 de junho. Exemplo: Ao longo da história sempre houve muitas celebrações do solstício de verão.

casamento (m, -s): o ato de casar. = matrimónio. Exemplo: O casamento do meu primo foi numa quinta na serra.

abençoado/-a: uma coisa ou pessoa que recebeu uma bênção. Exemplo: O casal foi abençoado quando o padre fez o sinal da cruz sobre eles, benzendo-os.

casamenteiro/-a: pessoa que propicia uniões amorosas e casamentos. Exemplo: A minha amiga Ana adora fazer de casamenteira. Está sempre a tentar juntar os amigos e fazer casais.

fogueira (f, -s): madeira que arde numa área delimitada. Exemplo: O vizinho acendeu uma fogueira no quintal.

alusão a (f, -ões): = referência vaga a. Exemplo: O poema faz alusão ao casamento da poetiza. O poema faz referência ao casamento da poetiza.

purificação (f, -ões): o ato de purificar, tornar puro. Exemplo: A purificação da água do rio tem de ser feita com uma máquina com filtros.

regeneração (f, -ões): o ato de regenerar, de restabelecer o que estava ferido ou destruído. Exemplo: A pomada ajudou à regeneração da ferida na perna.

queima (f, -s): o ato de queimar. Exemplo: A época da queima das folhas secas nos quintais começa agora.

alcachofra (f, -s): planta que tem flores com espinhos. Inglês: artichoke. Exemplo: As flores das alcachofras têm uma cor lilás muito bonita.

apaixonado/-a: pessoa que sente paixão por alguma coisa ou alguém. Exemplo: A Joana está apaixonada pelo Luís.

rega (f, -s): o ato de regar, deitar água nas plantas. Exemplo: A rega automática não funcionou por isso é que as plantas estão secas.

na esperança que/de: = com esperança que. Exemplo: Eu joguei no Euromilhões na esperança de ganhar o prémio. Eu joguei no Euromilhões na esperança que ganhasse o prémio.

renasça: presente do conjuntivo do verbo renascer (nascer de novo). Exemplo: A fénix renasceu das cinzas.

correspondido/-a: ser igual, equivalente.  Exemplo: O Pedro está triste porque o seu amor não é correspondido. A Rita não gosta dele.

manjerico (m, -s): planta semelhante ao manjericão (Inglês: basil). Exemplo: O manjerico cheira mesmo bem. Mas não podes cheirar com o nariz, caso contrário a planta morre!

ostenta: presente do verbo ostentar (exibir, mostrar). Exemplo: O Fernando gosta de ostentar o seu carro novo.

quadra (f, -s): poesia de quatro versos. Exemplo: Ele não é um poeta genial. Só faz quadras simples.

baixa lisboeta (f): a zona central de Lisboa perto do rio. Exemplo: Vais à baixa?

arraial (m, -is): festa popular ao ar livre com música, comida e bebida. Exemplo: Ontem à noite fomos ao arraial e dançámos a noite toda.

procissão (f, -ões): um cortejo religioso, em que uma figura (de um santo, por exemplo) é levada pelas ruas ao som de música e com fiéis atrás. Exemplo: A procissão vai passar aqui por isso é que a rua está cortada.

percorre: presente do verbo percorrer (passar por). Exemplo: O Rui percorreu a cidade toda à procura do restaurante.

andor (m, -es): estrutura para levar uma imagem de um santo em procissão. Exemplo: Aquele andor é carregado por dez homens. 

 

 

Os arraiais

 

10-16 June 2011. Camera: Murat&Figen Kurt, Editing: M.

 

A procissão de Santo António

 

Um das procissões mais acarinhadas pelos lisboetas leva milhares de fies às ruas da capital.

 
 

English summary

Lisbon's festivities

Portugal is the stage of great festivities during June when several popular saints are celebrated: Santo António (Anthony of Padua), São João (John the Baptist) and São Pedro (Saint Peter).

In Lisbon, it's on the night of the 12th of June that the city reaches its peak, celebrating Santo António, who was born in Lisbon and died on June 13, 1231, in Padua.

Some argue that the origin of these festivities may be prior to Christianity, originating in the pagan celebrations of fertility and the summer solstice.