Perdidamente Florbela

Florbela Espanca foi uma poetiza portuguesa, nascida em 1894 no Alentejo. Escreveu o seu primeiro poema, A Vida e a Morte, quando tinha apenas oito anos e foi uma das primeiras mulheres em Portugal a tirar um curso liceal.

Continuou a escrever ao longo da sua vida tumultuosa, sobretudo sobre a vida e o amor, até que cometeu suicídio no seu trigésimo sexto aniversário.

A grupo musical Trovante adaptou um dos seus sonetos Ser Poeta e compôs, em 1987, a música entitulada Perdidamente, que se tornou um clássico.

 Florbela Espanca

Florbela Espanca

Áudio

 

Vocabulário

poetiza: o feminino de poeta.

um curso liceal: um curso de liceu, hoje designado por ensino secundário.

vida tumultuosa: uma vida agitada, aventurosa.

cometer suicídio: tirar a própria vida.

trigésimo sexto: número ordinal de 36.

soneto: poema formado por dois quartetos e dois tercetos (14 versos).

 
 

Perdidamente

 

Letra:

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
do que os homens, morder como quem beija
É ser mendigo e dar como quem seja
rei do reino de aquém e de além dor

É ter de mil desejos o explendor
E não saber sequer que se deseja
É ter ca dentro um astro que flameja
É ter garras e asas de condor

É ter fome, é ter sede de infinito
Por elmo, manhãs d'ouro e de cetim
É condensar o mundo num só grito

E é amar-te assim, perdidamente
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando, a toda a gente